Luan Santana

Luan Rafael Domingos Santana

¤ 13/03/1991 –  † 11/02/2010
Novo candidato aos 15 minutos de fama desses últimos 15 minutos

Epitáfio: “O passado é lição para refletir, não para repetir
(Mário de Andrade)

O primeiro homem de mídia que existiu foi aquele que inventou a frase fundamental do ramo e a mais citada nos corredores e alcoices do meio: “Nasce um otário por dia”.

Evidentemente que nesses novos tempos de superpopulação, superexposição e super crise educacional, essa frase tem de ser compulsoriamente adaptada para não se perder no próprio sentido: “Nascem milhares de otários a cada minuto”.

Ela explica o fenômeno (no sentido de acontecimento bizarro) Luan Santana e sua meteórica ascenção aos ‘rite pareides’ da mediocridade e da baixa auto-estima, mesmo levando-se em consideração a completa falta de originalidade desse produto insosso, incapaz de empolgar qualquer criatura com mais neurônios que uma ameba.

É o mesmo nhém-nhém-nhém de sempre: baladinhas melosas ou então no melhor estilo “hoje é sexta-feira”, um rostinho fotogênico, uns jeans rasgadinhos, umas entrevistas bancando o bom garoto, violão estrategicamente empunhado. Está tudo lá: o manual de clichês da indústria exercitado item por item, from A to Z!

Do dono da Hilux arrotando no rodízio à mais humilde tiete de celular chinês com dois chips (bru-tu-fe!) emana uma certa unanimidade, da forma como Nelson Rodrigues um dia já definiu: o ‘gurizinho’ é a mais nova brilhante criação dos ‘gênios’ da mídia.

Todo alfabetizado sabe (ou deveria saber) que esta indústria só perde para as farmacêuticas e para as operadoras de telefonia no quesito imoralidade, mas mesmo assim, ainda é de se admirar que em dados momentos tenha a ousadia de desafiar nossa paciência de uma forma tão agressiva, nos dando golpes tão baixos. Sinceramente… mesmo essa mídia corrompida, usada e proxenetada já nos trouxe receitas de bolo menos ruins.

Li outro dia que a venda de antidepressivos têm crescido vertiginosamente (veja matéria) na terra do samba e do pandeiro. É de se entender. Com uma nova geração de ídolos como Luan Santana, a alegria vazia do cloridrato de paroxetina é o derradeiro refúgio da ‘galera de peão’ antes das drogas ou do suicídio… Que opção?

Material relacionado:
Flashes OF LOVE (Fanfic sem noção do ídolo estrábico)
Luan Santana do Além
Luan Santana do Além (Versão 2)

Dissecando a Inveja – Parte 2 (Colcha de Retalhos)


Anúncios

1.525 Respostas para “Luan Santana

  1. Você não ouse falar mal do Luan senão as Luanetes vão pra cima de você e desse seu site RIDÍCULO com força total!! É bom você parar por aí! #ficaadica

    Curtir

  2. Nada como um dia após o outro dia.
    Neste caso foram 4 anos…
    Chorei de rir com minhas únicas duas postagens neste Blog. Cara, como o meu português era péssimo!!! Kkkkkk
    Não me importei com o comentário logo abaixo. Também “intrevistar” foi de ferrar né ?!!
    Mas o que tem haver meu nome com o que eu escrevo?
    Ele pode até ser diferente… mas não é uma diferença monstruosa.

    Enfim, como é bom voltar aqui e ver o que vocês falavam sobre o Luan…
    Luan no “Cemitério das Celebridades” será que vingou essa aí?
    Tenho certeza que não.

    Você pode usar sua criatividade para Blog’s com outros sentidos.
    Boa Sorte.

    Curtir

Atire uma pá de cal (comente!)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s