Junior Lima

Durval de Lima Junior

¤ 11/04/1984 –  † 10/06/2010
Irmão profissional desempregado

Epitáfio: “Só se perde a liberdade por culpa da própria fraqueza”
(Mahatma Gandhi)

Os fãs de Sandy & Junior ficaram perplexos quando, em 2007, a dupla anunciou seu divórcio artístico e não entenderam que essa separação não se deu por motivo outro além daquele de sempre: dinheiro!

Tentou-se até vender a idéia de que o fim da dupla ocorrera por motivos místicos, espirituais e toda aquela baboseira de ‘seguir um caminho’. Nas cabecinhas daqueles que imaginam o Sol girando ao redor da Terra a historinha faz enorme sentido. Mas só nelas.

Qualquer um em sã consciência reconhece que o projeto Sandy & Junior era formado, em ordem de importância, por Sandy Leah, sua própria sombra e seu irmão, Junior, um acessório incompatível com o projeto de se transformar a primogênita na Celine Dion do pós-11 de Setembro.

Como nada por aqui se cria, os irmãos, no início desta década, estavam estudando a cartilha da banda sueca Roxette, que conseguiu invadir o mercado fonográfico americano em fins dos anos 80.

Esta agourada fase ‘Internacional’ de S&J deixa evidente que os seus arquitetos almejavam dar uma boa mordida naquele mercado tradicionalmente aberto a ‘chicanos’ desde que concorram apenas ao infame Grammy Latino, o prêmio de consolação que entre suas categorias já coroou a empáfia de Ivete Sangalo e indicou bocoiós do calibre de Marjorie Estiano e NXZero.

Convido o leitor a assitir os vídeos de Fading like a flower (Roxette) e Love never fails (S&J) tentando perceber as semelhanças. Justiça se faça, são trabalhos acima da média considerando o público ao qual dirigem-se.

O tiro de misericórdia na carreira de qualquer artista era, então, gravar um álbum “Acústico MTV” e com a dupla a maldição se repetiu. Neste último momento de agonia fraterna ainda ensaiaram um movimento em direção a um modelo mais próximo daquele formatado pelos irmãos Carpenters nos anos 70.

Em alguns aspectos essa tentativa de mudar os rumos foi premonitória. Assim como a carreira de Richard Carpenter não sobrevivera ao falecimento precoce da irmã – Karen – Junior Lima também sucumbiria, artisticamente, ao fim da dupla que integrava.

O maior erro dos estrategistas da empreitada campineira nas terras do Tio Sam foi superestimar a capacidade de evolução dos fãs, que simplesmente não conseguiam conceber uma existência além desse universo infantil de onde seus astros tramavam um desesperado plano de fuga.

Os números já indicavam a catástrofe iminente conforme se observa neste gráfico (em alta definição para que até os fãs enxerguem e resolução normal para os demais). Salta aos olhos a forte ascensão das vendas na primeira década de carreira e a vertiginosa descida a partir da virada do milênio que anunciava um panorama obscuro para o futuro da dupla.

A descida do estratosférico patamar ‘multiplatinum’ dos quase 3 milhões de cópias do álbum ‘As Quatro Estações’ (1999) até o fundo de poço representado pelas 168 mil cópias do último trabalho inédito da dupla, o ‘Sandy & Junior’ de 2006, não se justifica exclusivamente pela redução do mercado apontada pelos dados da ABPD.

Em 2007, um produto semelhante, a outrora falecida Wanessa Camargo, alcançou 1/3 de suas vendas de 2002, acompanhando a tendência do mercado, ao passo que o projeto S&J, no mesmo ano de 2007, mal conseguiu vender 1/8 do que vendia no começo do milênio. Que empresa não ligada ao tráfico de drogas, ao jogo ilegal ou a prestação de serviços de telefonia resistiria a um declínio de vendas tão acentuado? A verdade é que o produto não mais atendia as demandas de seu público ainda infantilizado.

Desde a cisão, os passos de Junior se deram no inferno de um quase comovente desfile de projetos naufragados ainda no estaleiro. Os longos anos de uma vida exposta ao crivo da opinião pública lhe renderam amizades com personagens cheios de ideias geniais e intenções obscuras, como aquela de sofrer o desgaste de tentar (mais uma vez) a carreira de ator no auto-sabotado longa-metragem AcQuária, de 2003.

Cercado de amigos envernizados pelo mesmo limo que besunta a cara-de-pau de Luciano Huck, caiu na armadilha de integrar o SoulFunk, uma banda de black music pronta-para-fracassar, cuja tresloucada proposta era misturar Lenny Kravitz, Jorge Bem Jor, Stevie Wonder, entre outros, ao swing bunda branca dos novos espaços frequentados pelos emergentes paulistanos.

Mas as profundezas abissais da humilhação ainda tinham um lugar reservado ao jovem Durval. Em 2008, conseguiu montar, sob o infeliz acrônimo de 9MA (que deveria significar Nove Mil Anjos), uma banda inteira com os restos mortais descartados por outras, a saber: Peu Sousa, garoto de recados de Pitty, na guitarra; Champignon, o baixista demitido da banda Charlie Brown Jr.; Péricles Carpigiani, devolvido por alguma nave alienígena e; o próprio Junior Lima, desempregado, na bateria.

Pela sagrada e bendita ordem natural das coisas, o predestinado projeto seguiu seu obrigatório caminho rumo ao retumbante fracasso comercial de meras 20 mil cópias vendidas. Para se ter uma idéia do tamanho do desastre, o álbum Manuscrito, lançado por Sandiléa em 2010, vendeu 50 mil cópias em dez dias (não que isso signifique alguma coisa).

Em setembro de 2009, o projeto 9MA (Nove Modos de Afundar) – exatos 12 meses após o lançamento do primeiro single, ‘Chuva Agora’ – anunciava de forma redundante o seu fim oficial em meio a uma profusão de farpas publicamente trocadas entre os integrantes sobre  (vejam só) ataques de estrelismo.

Em nome dos bons tempos do seriado global Sandy & Junior (aliás, outro mico impagável para todos os envolvidos), Marcos Mion ainda tentou acudir o “amigão” convidando-o para compor a trilha sonora do nefando e superestimado Legendários.

Mas como toda falsa retribuição de favores, o convite chegou tarde demais. A carreira de Junior já agonizava em seus estertores.

Resta-nos a mágica metáfora ao NADA que as páginas em branco dos sites fora do ar pertencentes aos projetos do caçula de Xororó e o lacônico currículo do rapaz no IMDB representa.

Do pó, veio. Ao pó retorna.

Material Relacionado:
Peu Sousa, ex-guitarrista de Pitty, é encontrado morto em casa, na BA


Anúncios

108 Respostas para “Junior Lima

  1. Coveirinho,
    este post foi 10, nota 10! (como diria o locutor de apuração de desfile de escola de samba). Nem mesmo 9 mil anjos serão capazes de livrar esta alma do inferno do esquecimento. Mas quem sabe ele não acredita no que a dupla mesma cantarava: o que é imortal não morre no final!
    Coveirinho, eu, se tivesse me formado em letras, como ela, pediria para devolver tudo o que ganhei com esta infame versão. Como eu não sou ela e já me formei em letras, digo: o que é o Mobral (lembra?) não morre no final.

    Curtir

  2. coveirinho quando puder enterre o bonde da stronda pq além de ruins já cheirando mal faz tempo

    parabéns pelo blog sou seu fã

    Curtir

  3. “Que empresa não ligada ao tráfico de drogas, ao jogo ilegal ou a prestação de serviços de telefonia resistiria a um declínio de vendas tão acentuado?”

    Hahahahaha… fechar com o serviço de telefonia foi boa!

    Posso fazer uma pergunta? Por curiosidade:
    Qual foi o enterro que recebeu mais comentários contra? Foram muitos?

    Curtir

  4. Coveirinho,

    Não querendo abusar de sua boa vontade, que tal um velório por dia??? Seria super emocionante !!! 😉

    Curtir

  5. Sandy & Junior vão voltar???? É o Tchan também??? (O detalhe da “formação clássica” é demais!!!!) É…….Não vai dar pra esperar 2012 não……………

    Curtir

  6. Me lembro com clareza que os infames irmãos foram a mídia criticar o Playback de Britney Spears no Rock in rio 3 …
    Aí foi uma questão de tempo e do acaso para se descobrir que:
    http://veja.abril.com.br/310101/p_120.html
    Veja não é sinônimo de boa informação. mas outros canais divulgaram da mesma forma acontecido, Mas vai aí o link para apreciação dos demais.
    Coveirinho, sem palavras pela sua postagem, é a absoluta realidade dos “Produtos”, abraço

    Curtir

  7. Sandy & Junior só agradava adolescentes ansiosas pela perda de seu hímem e que após conhecerm os prazeres da arte do sexo percebiam que as letras água com açúcar em nada condiziam com a cruel realidade da vida.

    Já foi tarde, esse sim um pseudo-músico que acreditava ser capaz de conseguir alguma coisa nas costas de seu pai e de seu tio. Particularmente eu morreria de vergonha de ter um filho assim.

    O texto, como sempre genial, dispensa qualquer anexo.

    Só falta enterrar a nati-morta Sandy também (se é que já não foi), que insiste em manter o ar inocente e virginal mesmo após o matrimônio (se bem que com aquele marido existe a probabilidade se manter virgem ainda).

    Parabéns Coveirinho.

    Curtir

  8. Coveirinho,

    Não dá pra você providenciar o velório da mini Lady Gaga? Bem, se achar cruel fazer isto com a pequena, então enterre os pais por explorarem e exporem tal criança desta maneira. Cadê o Ministério Público?????

    Curtir

  9. Coveirinho, só esqueceu de comentar a prevista volta da dupla daqui a um tempo, com direito a aparições no Faustão, Gugu e similares, e fazer todo aquele quadro relembrando a carreia dos moleques desde pequenos cantando Maria Chiquinha (ou seja lá qual for o nome da música). Essa fórmula já é manjada e, não sei se é de seu conhecimento, o É o Tchan “formação clássica” voltará ainda nesse ano. Sim, Coveirinho, o mundo ainda terminará antes mesmo de 2012.

    Lembro bem da época em que a dupla resolveu lançar seu CD no mercado norte-americano e vendeu pífias 500 cópias. E não adianta continuar com esse ritmo no Brasil, a adolescência de hoje quer saber do Restart e da “#putafaltadesacanagem” de cancelamentos de shows sem importância alguma para o mundo (o mundo vive até melhor após o cancelamento).

    Ou seja, os adolescentes estão trocando seis por meia dúzia. Aposto que daqui a uns quatro anos ninguém mais saberá quem foi Restart, assim como a geração de hoje nem faz idéia da dupla de irmãos Lima.

    Parabéns, e espero que continue a atualizar com a mesma freqüência de antigamente. Percebi que há uma “pausa maior” entre uma postagem e outra, mas garanto que falta de assunto não é. Não faltam celebridades ou sub-celebridades toscas Brasil afora. =)

    Curtir

    • Túlio,
      tenho dedicado uma energia insana ao Cemitério das Celebridades no sentido de amplificar esse nosso GRITO de repúdio ao que a mídia tem nos apresentado.
      As postagens são prioridade. De uns tempos para cá, tenho me envolvido com uma rotina de bastidores em outros aspectos deste trabalho no sentido de amplificar esse nosso GRITO de repúdio que, naturalmente, carece de recursos de todo o tipo.
      Mas prometo não deixar a peteca cair!
      Obrigado pela observação e pela força de sempre. Um abraço.

      Espero que você e o pessoal mais assíduo entenda
      prometo tentar voltar àquela velha freqüência. Mas devo a você e ao pessoal mais assíduo uma satisfação.

      É o Tchan ‘formação clássica’ é o fim da picada! Hshshshshs!

      Curtir

  10. Já dá pra ver a penúria do falecido até mesmo aqui, nos comentários do blog… Se ainda vivesse seus dias de glória, Junior seria defendido com a mesma veemência pueril das fãzinhas de Luan Santana. Hoje em dia, ele passa em branco até mesmo entre suas admiradoras. Triste fim até mesmo para esse, um dos mais insípidos brinquedos assassinos midiáticos.

    Curtir

  11. Coveirinhooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!

    Assim não dá……….Assim não dá………..Zelinha chorando com as costas rachadas e dor na alma. Eu chorando e com dor no estômago. Se continuar assim vamos ter que mandar a conta do médico pra você.
    Agora, quanto ao texto………..ehehe……….Muito bom, principalmente pelos sites fora do ar, pelo gráfico e pelo currículo. Você sempre consegue se superar!!!

    P.S.: Zelia se você quiser podemos entrar com um processo (vou CONTAQUITAR o sr. dr. Rômulo) contra o Coveirinho. Beijos e melhoras. 😉

    Curtir

  12. KKKKKKKKKKKKKKkk, morri!

    Falou tudo, couverinho, a era destes babacas já acabou faz tempo, eles podem vim com mil e uma outras formas, já era, It’s all over. A mentalidade teen mudou!!!

    Curtir

    • Oi, Maiane!
      A irmã da figura, a tal Sandiléa, está tentando, mas diz que agora seu trabalho ‘é para poucos’.
      A gente ouve (e lê) cada uma quando lida com esse pessoal… tsc, tsc!

      Curtir

  13. Voltei! 🙂
    E, para gáudio meu, uma mais do que merecida enterrada num troço que já tava fazendo hora extra sobre este tão maltratado planeta. Como bom campineiro que sou (sim, eu sou de Campinas – SP), nunca entendi o porquê dessa porcariada toda ir parar lá, quando o destino desses catadores de bosta de vaca que deram certo costuma ser – sempre – São Paulo, a minha querida São Paulo, tão maltratada, ou, alternativamente, mais pra cima, quando eles viram queridinhos de Rede Esgoto e têm que morar naquele circão que é o RJ, pra ficar mais fácil de aparecer nos programetes da emissora que manda no Brasil (presidente da república é mero acessório!). Chitãozinho, chororó, sandijunior, ouf… é dose cavalar!

    Agora, sem dúvida nenhuma, a melhor parte do texto foi essa: “(…)desde que estes concorram apenas ao infame Grammy Latino, o prêmio de consolação que, entre suas categorias, já coroou a empáfia de Ivete Sangalo e indicou bocoiós do calibre de Marjorie Estiano e NXZero.”

    Eu acho um sarro quando a gringalhada cria coisas “latinas” ou para aqueles “que são de fora”… “Grammy Latino”, “Oscar de filme estrangeiro”… e todo mundo acha lindo! É a cara do típico prêmio de consolação para aqueles que jamais atingirão níveis maiores do que reles emuladores de Shakira e semelhantes “miguelitos”! Lamentável!

    Que apodreça o infeliz, porque aqui já deu!

    Abraços, caro Coveirinho!

    Curtir

    • Grande, Modulae!

      É sempre uma satisfação receber o amigo.

      Houve um pessoalzinho aí que andou reclamando que eu só falo mal de baiano, da Bahia… Olha aí! Mediocridade não respeita geografia, não, gente!

      O amigo Modulae, sempre perspicaz, entendeu bem essa questão que levanto nesta postagem – mesmo que en pasant – que são esses prêmios que a indústria, principalmente americana, inventa para criar ‘cinturões de influência’. Isso é uma forma de se fazer um controle cultural sobre os povos ou regiões, de se eleger artistas que estão de acordo com produtos e valores que o sistema quer vender. Um perigo que nem os grandes intelectuais que por aqui passaram (lembra-se do famigerado Daniel Sei-lá-das-quantas?) percebem porque estão muito deslumbrados com os prêmios da vendida Ivete Sangalo.

      Vou te falar, meu amigo… não é fácil, não é facil…

      Um grande abraço e não nos poupe de suas ponderações, sempre relevantes.

      Curtir

  14. P.S.: Com ref. à teoria heliocêntrica mencionada, vide a 3ª e 4ª linhas no 2º § do texto da postagem redigida pelo Dr. Coveirinho.

    Curtir

  15. Realmente, estes relatos, em sua totalidade e especialmente,as teorias copernicanas expostas em seu modelo heliocêntrico foram sobejamente exibidas, de maneira exemplar, em analogia ao entendimento dos seguidores do morto-vivo que protagoniza o presente post. Aos prosélitos, sequazes do entendimento das teorias geocentristas e de que o homem ainda não chegou à lua, resta a seguinte síntese: Enveja, sim, de um texto de tão requintada qualidade. Uma bela pazada de terra em cima.

    Curtir

  16. Não consigo mais rir: tou chorando. Genial, como sempre. Me dói até a alma de tanto que eu ri. Celine Dion depois do 11 de setembro….

    Curtir

  17. “Justiça se faça, são trabalhos acima da média considerando o público a que se dirige.” De quais trabalhos você estava falando? O popzinho meloso do Roxette, que eu até apreciava na época que isso tocava nas Joven Pânicos da vida, ou da cópia feita pelos irmãos Lima? A carreira do Junior nunca foi para frente como tal(como carreira dele). Melhor ele resolver estudar pro próximo concurso da Receita Federal do que ficar dando murro em ponta de faca.

    Curtir

    • Renatão,
      quis dizer que a fracassada fase internacional de S&J vai nessa mesma linha do pop melosinho de Roxette. Cada um para seu próprio público, mas com características semelhantes.
      Também acho que um concurso público o pouparia de maiores constragimentos.
      Um abraço.

      Curtir

  18. E lá se vai mais um menino-prodígio da arte no Brasil !!!!

    Mais um menino moderno, bem-nascido, bem-criado, que pensa que sabe tudo de música … que pensa que é fácil tocar soul music, que pensa que tem o feeling de um James Brown … como ele, existem milhares por aí !!!!!

    Curtir

  19. “seu irmão, Junior, um acessório incompatível com o projeto de se transformar a primogênita na Celine Dion do pós-11 de Setembro.”

    É verdade! (pela falecida Sabrina Sato, que Deus a tenha!)

    Curtir

Atire uma pá de cal (comente!)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s