Boninho

José Bonifácio Brasil de Oliveira

¤ 04/11/1961 – † 30/03/2011
Déspota multimídia

Epitáfio: “O que torna as pessoas sociáveis é a sua
incapacidade de suportar a solidão e, nela, a si mesmos.”

(Arthur Schopenhauer)

Com tantos anos de serviços prestados à frente de projetos de (f)utilidade similar ao Vídeo Show, Mais Você e Estrelas, Boninho – o filho do onipresente Boni – marcou a ferro em brasa as mentes danificadas que naturalmente herdará se os rios continuarem sua corrida para o mar. Continuar lendo

Cristina Mortágua

Cristina Mortágua

¤ 08/09/1970 – † 21/02/2011
Maria-chuteira aposentada

Epitáfio: “É parte da cura o desejo de ser curado”
(Séneca)

Embora tenha dúvidas quanto aos prós e contras de me desarmar, temporariamente, da retórica vanguardista e de utilidade pública para seguir o coro da “mídia do mundão” que se apraz em tentar atribuir – num português instrumental – ares de conteúdo ao entra-e-sai em camburões dessa geração de musas de carnavais esquecidos, peço licença aos leitores mais susceptíveis para novamente externar ponderações acerca de damas da sociedade. Continuar lendo

Restart

Pedro Gabriel Lanza Reis

¤ 14/04/1992 –  † 03/09/2010
O Pe Lanza.

Pedro Lucas Munhoz

¤ 14/01/1990 –  † 03/09/2010
O Pe Lu.

Lucas Henrique Kobayashi de Oliveira

¤ 04/04/1992 –  † 03/09/2010
O Koba.

Thomas Alexander Machado D’Avilla

¤ 28/08/1992 –  † 03/09/2010
O Thominhas.

Epitáfio: “A estupidez coloca-se na primeira fila para ser vista;
a inteligência coloca-se na retaguarda para ver”

(Bertrand Russell)

Por inacreditável que pareça, esses novos insípidos astros não vieram diretamente da revista de histórias em quadrinhos para a qual foram concebidos de forma a atender um exército voluntário de anoréxicos culturais que, por conta da própria anemia, são incapazes de absorver produtos de maior substância. Continuar lendo

Gretchen

Maria Odete Brito de Miranda

¤ 29/05/1959 –  † 28/04/2010
Pioneira do setor retro-rebolativo

Epitáfio: “Em questões de dinheiro temos todos a mesma religião”
(Voltaire)

Senão a primeira, certamente a mais célebre liquidificadora de virtudes construídas ainda nos tempos da televisão à lenha, Gretchen abriu as portas do inferno para uma nova fórmula de conteúdos cuja glorificação levaria o nível dos valores que se vende na telinha a rés-do-chão, se é que ali já não se encontravam. Continuar lendo

Mara Maravilha

Eliemary Silva da Silveira

¤ 06/03/1968 –  † 19/04/2010
Capa da Playboy de Fevereiro de 1990

Epitáfio: “O mesmo acontece ao mérito e à inocência:
perde-se, desde que deles nos sustentemos
(Immanuel Kant)

Mara pertence a uma categoria de celebridades falidas que é das minhas favoritas: as madalenas arrependidas, tipo clássico cujos espécimes caracterizam-se pelo grande empenho em negar, na segunda parte de suas vidas, tudo o que fizeram na primeira. Continuar lendo