Mulher Moranguinho

Ellen Cardoso

¤ 13/07/1981 –  † 20/05/2010
98 de busto, 75 de cintura
e 117 de competência profissional

Epitáfio: “A fruta podre, quando não descartada,
estraga todas as outras do cesto”
(Dito popular ancestral)

Meus informantes infiltrados nos mais diversos alcoices de mídia não souberam, ou não puderam, confirmar os dados civis desta robocópica presença que se identifica sob a alcunha de Ellen Cardoso e não apresenta RG na entrada por corretamente supor que sua fama lhe precede e abre portas, mesmo que dos fundos, das latrinas que não resistem a três minutos de liderança no IBOPE.

De qualquer forma, um ser vivente que desmerece e renega sua condição não só feminina mas também humana, reduzindo-se ao rótulo de mera fruta, talvez não mereça ser mencionada pelo seu registro civil nem mesmo agora, em seu momento final.

Na hierarquia da fama efêmera, o filo ao qual a denominada ‘Mulher Moranguinho’ pertence – o das Mulheres-Bunda – está acima apenas das Mulheres-Samambaia por uma questão relacionada ao valor do cachê e apenas um posto abaixo dos famigerados BBB’s, na pirâmide invertida da descartabilidade.

O release, divulgado em seu site, e que a define como “morena que seduz e encanta temperada por seu sorriso de menina e seu jeito sapeca” (sic), que parece escrito sob medida para seções muito específicas de classificados de jornais é bastante distintivo de sua abordagem ‘artística’ e da tarimba dos profissionais que a assessoram.

Entende-se. Seus ‘agenciadores de márquetim’ visam atingir, senão este público degenerado que se alfabetizou lendo aqueles anúncios especificamente, ao menos um público de gosto semelhante, incluídos aí os perversos de todas as idades, lugares e classes sociais que sonham em sofrer uma surra de bunda coroadora de suas existências subterrâneas, degradantes e inúteis.

Evidentemente que as letras e coreografias das mulheres-bunda não justificam, por si próprias, o horror diário dos plantões policiais, mas, penso que estabelecem certa influência na velocidade de nossa descida rumo ao desastre.

Apesar do que alguns gênios acadêmicos e outros ‘paus-mandados’ tentam pregar, não existe NADA de artístico, cultural, edificante, criativo ou positivo no tipo de trabalho desenvolvido por essas moças cujos glúteos bem poderiam servir como escrivaninhas para tantos contratos e certificados de tudo o que porventura desejarem e conseguirem possuir.

Içada pelo elevador de serviço da fama, Dona Mulher Moranguinho (e as outras mulheres-bunda) não é a primeira e nem a última culpada por este estado das coisas, mas é instrumento e meio de propagação de uma ‘cultura ao lixo’ que é o retrato claro de uma sociedade complacente, permissiva, que comprou a idéia da liberdade, mas levou a falta de limites como bônus maldito e, tarde demais, tenta recolher os cacos de sua identidade perdida nas ruínas de uma civilização pós-Mad Max.

Prevalecendo-se exclusivamente pelo volume de suas carnes tal qual uma rês de tétrico leilão ou atração enjaulada de um circo de horrores, só é capaz de emitir conceitos mal formulados de um rudimentar código de valores onde a mulher comum é defeituosa, incompleta e infeliz justamente por se manter digna e anônima: a recalcada, como se diz no seu jargão de cais de porto.

E aí está a primeira geração de avós aos 35 anos que, sob o signo das rebolações até o chão, inflacionam o planeta com seus muitos frutos (e frutas), cujo pólen se desconhece natureza e paradeiro, ao mesmo tempo em que perpetuam uma sociedade de celerados alimentados no berço da ausência absoluta de parâmetros.

E o que me surpreende, de fato, é a perplexidade e a indignação frouxa dos desavisados frente à falência moral de uma sociedade que, a cada manhã, enquanto toma ‘a primeira do dia’, discute toscamente os escabrosos casos de pedofilia ou violência contra a mulher como se estivessem acontecendo num intangível universo paralelo.

Ora, senhoras e senhores! Por sobre qual mundo, afinal, arrastai vossas bundas?


Anúncios

101 Respostas para “Mulher Moranguinho

  1. As fãs dessa mulherzinha dizem que somos recalcadas e “emvejozas”. Se ser recalcada não é o mesmo que ser vulgar, então me orgulho de ser 100% recalcada !!!

    Curtir

  2. Não entendo porque esses fãs dessas mulheres frutas chamam a gente de “recalcadas”, “mal – amadas” e por aí vai. Prefiro mil vezes ser recalcada do que mostrar a bunda pra qualquer imbecil passar a mão. Ser chamada de gostosa não quer dizer que é isso que faz uma mulher se sentir bonita. É ser elogiada pelo seu carater, sua determinação, seu jeito de lidar com situações adversas. E outra: ninguém em seu juizo perfeito reza pra uma revista masculina te chamar para ser a proxima capa, ou para um diretor tarado de um reality show fajuto te chamar para dar o ar de sua graça. Na boa, melhor recalcada e mal amada do que p* fracassada entupida de silicone. Quando passar essa febre, quero ver de que as “gostosas” vão viver …

    Curtir

  3. Mando bem Cleide! Há que se pensar além das nádegas… Quer dizer… Uma hora elas caem… É inevitável… E aí vão fazer o que mulheres-bunda, ânus-orbitus?
    Morrer no vale da nádega.

    Curtir

  4. Coveirinho, compartilhei novamente este seu texto… depois de ter que apagar o texto sobre a maneira como essas ditas mulheres-bundas se vestem do meu blog, devido à reação calorosa das MINHAS AMIGAS do facebook… me bateu uma indignação: se eu falasse de qualquer realidade séria, ninguém falaria nada, não se adeririam à nenhuma causa justa. Mas como se levantaram para defender as pobres mulheres vulgares… “deixa cada um se vestir e fazer o que quiser sua invejosa desocupada”.
    Como ser humano normal, eu certamente confesso que as vezes sinto inveja, mas fazendo uma auto análise profunda, não consigo me lembrar de ter invejado mulher melancia, mulher filé, mulher melão… só me lembro da vergonha alheia que sinto sempre que as vejo, isso sim!

    Curtir

    • Cleide,
      os textos estão aí, como um grito anônimo e distante na escuridão.
      E o propósito deles também é esse que você menciona: ser um registro do que nem se cogitaria comentar num jantar entre familiares ou num churrasco com os amigos sob o risco de criar-se uma celeuma.
      Este projeto não visa mudar a opinião de ninguém, mas de cumprir um modesto papel de romper com a unanimidade e a mesmice que quase sempre são sintomas da burrice.
      Obrigado pelo apoio de sempre!

      Curtir

    • Opa! Suas “amigas” usam também a palavra mágica? Parabéns! Por aqui é o que mais tem… Eu sinto piedade deste tipo de “profissinal”, que faz “ensaios artísticos de nu”. Precisam mudar seu corpo para serem aceitas e pretensamente brilhar.São exploradas e donas duma vulgaridade(como vc bem coloca) que amedronta. Os valores fundamentais desapareceram. Vale agora o mais esperto na gatunagem, a mais siliconada e botoxada e os bombados tatuados de plantão.

      Curtir

    • Passei pela mesma experiência no facebook.
      Compartilhei o sepultamento do Sr. Huck e perdi uma amiga, rsrsrsrs
      Vida que segue! 😉

      Curtir

  5. Véio, o q falta em humor para os seus comentários sobra em moralismo tipo assim, TFP, tá ligado? Deixa as gostosas em paz e dirija suas baterias de pseudofilosofia para quem realmente precisa de balas-palavras alojadas em sua zona de conforto.
    De resto, RIP.

    Curtir

  6. Nem toda brasileira é bunda. Mas graças a essas mulheres – frutas – podres, é esse nosso rótulo. Fico com pena dessas mulheres que tanto lutaram para que nossa geração fosse respeitada.

    Curtir

  7. Essas “danças” que elas fazem nada mais é do que instinto animal para o acasalamento. Afinal, você conseguiria imaginar aquela mulher rebolando e sentando em algo que não tivesse um formato fálico? [Isso me lembrou a Dança da Garrafa, que tem o mesmo objetivo]. Simplesmente pra mostrar seu “talento” em proporcionar prazer na hora de procriar. É isso que separa os humanos dos animais. O ser humano é capaz de transmitir informações de que possui certos talentos através de uma linguagem mais perspicaz, quase subliminar, mas sem perder o respeito por si mesmo. O animal, porém, faz uso do exibicionismo e da manipulação dos instintos selvagens. Animal é tanto quem faz uso destes artifícios, quanto é quem se rende a esses instintos.

    Seres humanos consideram “pessoas” assim [com o perdão da palavra] como “Depósito de Esperma”.

    Sem mais. 🙂

    Curtir

    • Rafael,
      quando faço reflexões evolucionistas, penso sobre Darwin, que disse que o homem é um primata evoluído.
      Já estou me convencendo que, na verdade, o homem é que um dia será evoluído como o macaco.

      Curtir

  8. Não merecia nem ser enterrada…
    Essa tal de “moranguinho” ja morreu e inchou(por isso tá gorda além de ser um pudin de celulite).No mais, celebridade que vive da bunda não é celebidade

    Curtir

  9. Irrita mais ainda quando as referidas crianças dizem que quando crescerem querem ser “modelos”. E os desmiolados papais e mamães incentivam este desatino. Ler ou estudar, não. Rebolar e posar com expressões duvidosas, sim. São esses os ídolos que norteiam a geração atual para que a manada siga em fila. Mansa e feliz.

    Curtir

  10. O que me irrita de verdade, é ver as criancas, menininhas de 5, 7, principalmente 9 e 12 anos dizendo:

    “ahh eu quero um short igual ao da mulé moranguinhuuu!!!”

    “ahh eu quero a roupa da Carla Perez!”

    “ahhh eu quero a roupa da Joelma!”

    Agora, o que me tira do serio, sao os pais de pequerruchos como esses, comprarem, vestirem, apoiarem e ainda colocarem a musica “tema” das referidas, pra criancas dancarem e rebolarem enquanto papai e mamae batem palmas, aos olhos daquele vizinho tarado e pedófilo….

    Ehhhh Brasilis…. tá facil nao….

    Curtir

    • Eu sou professora de adolescentes, a maioria de baixa renda… a influência é apavorante!
      Outro dia, as crianças de 13 anos falavam de relacionamentos… as meninas falam cada absurdo! Que querem um cara que tenha muita grana [ninguém mais sonha com amor e coisa do tipo], para sustentá-las e dar tudo que quiserem… as meninas desta geração acham que basta ser “gostosa” e se vestir vulgarmente e estarão com a vida ganha… eu tento problematizar, mas em sua maioria elas enxergar a mulher trabalhadora, que não é sustentada por um homem, como alguém má sucedida…
      Para mim esses são os frutos da geração que cresceu ouvindo Xuxa, é o tchan… [pq provavelmente os pais dessas crianças são desta idade] e estão criando uma turminha que cresce tendo mulheres frutas, panicats e ex bbb’s como referência…

      Curtir

      • Não sei de qual cidade vc é, mas aqui no RS temos os mesmos problemas nas escolas que atendem alunos das chamadas periferias. Meninos querem ser o Neymar moicano fajuto e as meninas topam a carreira de qquer coisa que ande de roupa colada e saiba dançar funk. Feira de frutas é O negócio, sabe? Essa é a realidade. Triste, para nós que somos professores, que tentamos mostrar o que significa LIBERDADE. Pq libertinagem, eles já conhecem.

        Curtir

      • Cara Cleide, aqui na minha cidade também não é diferente. Me dá pena ver essas meninas se matando para ser “a nova namorada do chefe da boca”, enquanto que um cara trabalhador e honesto, elas dizer ser “broxantes.” As vezes, penso se quero ter filhos …

        Curtir

  11. AS MULHERES FRUTAS JOGAM ANOS E ANOS DE LUTA PARA QUE?
    MULHER É MUITO MAIS QUE BUNDA!!!! VONTADE DE EXTERMINAR ESSAS COISA!!!COM O SEU DESCARREGO,COMO DISSE UM COLEGA AI EM CIMA,LAVOU-SE NOSSAS ALMAS!!!!

    Curtir

  12. infelizmente, pa cada mulher fruta que morre,
    surgem outras dez dispostas a se destacar no
    lugar da falecida, gerando tudo que é tipo de
    demonstração de baixo nivel e de causar vergonha
    em quem assiste tal Dantesco espetaculo…

    Curtir

  13. É boa porém vagabunda. Ganha o pão de cada dia mostrando o rabo ou cantando porcarias.

    Parabéns coveirinho jogue bastante terra nessa aí!

    Mas saiba que vai ter muito necrófilo atrás dela!

    Curtir

  14. sugiro que para evitar surgimentos de novas
    frutas podres, as sementes sejam devidamente
    queimadas no crematorio do cemiterio, com o que
    tambem se evita o trabalho dos coveiros de enterra-las
    e ainda ter o trabalho de por placas lembrando que naquele
    local está enterrada tão desprezivel fruta estragada..

    Curtir

  15. São prostitutas. Ganham um cachê e vão até o chão, com micro-saias. Isso tudo para chamar a atenção de uma Playboy da vida para pousar mostrando o pouco o que resta, que ainda não foi exposto.
    Como sabem que esse sucesso como “A gostosa” do momento não passa de um efêmero momento mesmo, compram um AP. com o cachê da revista, depois querem investir na carreira de modelo e atriz, quando não apresentadora infantil…
    E se tudo der errado elas não viram hippie.
    “Brasileirinha” tá ai, nhé Coveiro?

    Curtir

  16. Sensacional!!Só hoje descobri este Cemitério, e tenho certeza que from now on virei sempre prestigiar esses enterros, chorarei lágrimas de crocodilo e me oferecerei para segurar ou soltar uma das alças
    dos caixões.
    Coveirinho, rilitros com seus textos, a internet está infestada de ”humoristas” e ”engraçadinhos” de toda espécie, alguns não conseguem provocar o mais leve esgar do q seria um sorriso, mas cara,
    vc foi ao fundo, literalmente, da questão.
    Essas sub celebridades invadem nossas tvs, nossas revistas, jornais
    como se fosse a coisa mais normal do mundo conviver com lixo.Esfregam
    essas bundas siliconadas em nossas caras, esses peitos turbinados, esses implantes de todo tipo, essas histórias de HORRORES e ainda
    acham que sofrem preconceito…Injustiça, né…
    Parabens e seja sempre o porta-voz de nós, mulheres mal-amadas, invejosas, recalcadas mas que nos recusamos a fazer parte deste universo Fim de Feira…
    Ah…já tô te seguindo no Twitter…

    Curtir

    • Obrigado, Leila e bem vinda ao mundo das celebridades que já morreram e nem perceberam.
      Sua metáfora sobre fim de feira para se referir à essas mulheres-fruta foi genial!
      Por quê não pensei nisso? ;.)

      Curtir

  17. Maria Cristina, o desenvolvimento de sua colocação é deveras interessante. Acredito que seu pressuposto filosófico primordial, deu realmente a entender este paradoxo indefesso de nossa sociedade atual onde o convexo insipiente abarca e destrói a resistência de fusibilidade calibrada. Mas sendo intimorata, para que a órbita equatorial não mais entre em choque com a meridional, repenso minha cessão e concedo a cessão irrevogável da misicalidade exemplificativa que avança inexoravelmente sobre a humanidade em desencanto, tão exaustivamente citada por Proust.

    Curtir

  18. Zelia,

    O paradoxo da órbita equatorial nos remete a diretriz convexa da sociedade comparativa absoluta. Se, subjetivamente, tomamos como exemplo a atualidade atual exemplificativa, temos a resolução antagônica de tudo no universo.

    Curtir

  19. Ei aluna da Gretchen,e de tantas outras rabudas dançarinas do nosso Brasil!
    O que a preguiça e a esperteza não fazem,com a cabeça de uma mulher que,julga perspicaz!

    Curtir

  20. Pois é gente, as mulheres hoje em dia estão sendo vistas como um pedaço de carne esposto, pois seus corpos são pedaços de carnes que servem sómemente para ganhar dinheiro e fama mesmo que não saibao nem mesmo falar CEREBRO denigrindo uma boa de mulheres que não pensam soemente em seios e bundas cada vez maiores. e infelizmente isso só tende a piorar, e quando alguém disser que você não gosta delas nem das letras inúteis que as pessoas chamam de música pq você tem inveja não ligue pois uma pessoa inteligente e que tenha cultura vale mais que BUNDA E PEITO.

    Curtir

Atire uma pá de cal (comente!)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s